sábado, 30 de outubro de 2010

O País dos Tristes

Ah, quando a dor se for restará
Mais do que a alma cedeu
Mais do que o mar nunca jamais concebeu
Tudo o que não voltará, nasceu
E a nossa alegria andará
Onde o suor escorreu à deriva
Acende o olhar no breu
Tudo o que não voltará, nasceu
(Oswaldo Montenegro)

4 comentários:

  1. Ahh, saudades também...
    Estou tentando criar um texto por esses dias..rsrs
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Ah, obrigada. Oswaldo ultimamente tem me falado à alma.

    ResponderExcluir